Skip to main content

Regimes de origem

« Back to Glossary Index

São regras para caracterizar a origem das mercadorias e assegurar-lhes o adequado tratamento tarifário, não-tarifário e estatístico. Podem ser: a) Normas de origem preferenciais – negociadas entre as partes signatárias de um acordo preferencial de comércio, cujo objetivo principal é assegurar que o tratamento tarifário preferencial se limite aos produtos extraídos, colhidos, produzidos ou fabricados nos países que assinaram os acordos. Para usufruir deste tratamento é necessário obter o Certificado de Origem, documento que comprova se os bens cumprem os requisitos de origem exigidos em cada acordo. b) Normas de origem não preferenciais – conjunto de leis, regulamentos e determinações administrativas de aplicação geral, para determinar o país de origem das mercadorias, sempre que não sujeitas a normas de origem preferenciais. Abrangem todas as regras de origem de instrumentos não-preferenciais de política comercial, como na aplicação de: tratamento de nação mais favorecida, direitos antidumping e compensatórios, salvaguardas, marcação de origem, restrições quantitativas discriminatórias ou quotas tarifárias, estatísticas e compras do setor público. Para maiores informações, clique aqui. Na exportação, também é importante consultar a rede de acordos do Brasil e as regras aplicáveis em cada destino ao produto beneficiado por preferência tarifária. Na importação, deve-se atentar para as regras de origem tanto em caso de preferências tarifárias, como para declaração de produtos sujeitos a direitos antidumping e outras medidas compensatórias. A fiscalização quanto à regularidade da declaração de origem estão definidos na IN RFB nº 1864/2018 e na Legislação correlata à Investigação de Origem Não-Preferencial

Botão <span class="" data-gt-translate-attributes='[{"attribute":"data-cmtooltip", "format":"html"}]' tabindex='0' role='link'>de</span> Link Voltar ao Índice

Fonte: gov.br

« Voltar ao índice