Skip to main content
5
(1)
pasted image 0 2

Toda empresa que opera no Comércio Exterior, seja com importação ou exportação, precisa ter mecanismos de controle para evitar de toda maneira prejuízos provenientes de uma má gestão financeira. 

A importação no Brasil, além de ser burocrática e habitualmente custosa, se negligenciada na sua gestão – mais especialmente a financeira –, poderá ter como resultado custos adicionais, perda de boa reputação entre os vários intervenientes do Comércio Exterior e consequente restrição de acesso ao mercado externo.

O fluxo de caixa de uma empresa depende de muita integração entre os setores, de maturidade organizacional e procedimentos, tais como rotinas de aprovações, planejamento de compras e aprovação no momento de contratar.

Para saber mais saber mais sobre esse importante assunto, não deixe de assistir ao webinar Rotinas Financeiras em Comércio Exterior: Desafios de Fluxo de Caixa em Comex

Conhecer as etapas do processo de importação, conseguir mensurar com segurança cada custo, planejar os desembolsos necessários a tempo certamente minimizarão a sensível equação que é uma operação de importação.

A má gestão financeira na importação pode custar à empresa sua permanência no mercado.

Este artigo ajudará a identificar fatores que podem ser características dessa má gestão financeira. Assim, agir para tomar medidas corretivas será bem mais fácil.

Qual a importância da gestão financeira na importação?

As operações de importação têm várias e complexas etapas que precisam ser geridas com cuidado.

Qualquer displicência pode gerar prejuízos que arriscam acabar com todos os lucros previstos em um processo.

Na verdade, fazer uma boa gestão financeira extrapola os processos ligados ao Comércio Exterior: ele garante que você não gaste desnecessariamente, esteja preparado para todas as despesas fixas e que as variáveis não afetem tanto o seu fluxo de caixa.

má gestão financeira na importação

Na importação, é fundamental mapear todas as etapas, como:

  • prazo final do projeto;
  • valor do frete;
  • lead time do projeto;
  • tempo livre de cobrança demurrage;
  • prazos para conclusão dos regimes aduaneiros especiais utilizados; e 
  • se o preço de venda está considerando todos os custos reais.

Compreender essas principais questões do processo de importação na gestão financeira fará com que a empresa evite surpresas desagradáveis e custosas.

Planejar uma gestão financeira que seja eficiente na importação é essencial. Imagine o transtorno de não disponibilizar os recursos para pagamento de uma armazenagem ou o adiantamento para o despachante no momento certo.

Será uma cascata de atrasos e consequentes custos extras.

Ao mesmo tempo, é preciso estar atento ao mercado e à tendência do valor do câmbio, que está longe de ser ciência exata, mas contribui para melhorar o custo dispendido com moeda estrangeira. Como resultado, tem-se a economia no valor total do processo de importação.

Quais os prejuízos de má gestão financeira na importação?

A má gestão financeira na importação causa prejuízos quantitativos e qualitativos.

Em primeiro lugar não podemos ignorar a capacidade de um processo gerar lucro, tornar-se prejuízo ou tão custoso a ponto de ser suspenso em pleno curso.

Além disso, é fato que a má gestão financeira vai refletir na reputação e na credibilidade do importador perante todos os intervenientes do Comércio Exterior.

Que tal ouvir sobre o assunto nesse webinar sobre Contabilidade Interna nas Empresas de Comércio Internacional que foi realizado em parceria com a Vendemmia?

Cada etapa do processo de importação precisa ser pensada na perspectiva do lado financeiro e organizada de maneira ampla e eficiente. Ou seja, deve contemplar os primeiros passos de negociação dos produtos com os fornecedores até a sua entrega final.  

Por isso, é necessário um sistema ou conjunto de módulos que proporcione um processo claro, com a gestão efetiva dos custos em todas as etapas.

Os principais fatores influenciados na má gestão financeira da importação são:

1. Etapas mais lentas

Com planejamento e uma boa gestão financeira na importação, é possível fazer uma projeção de todos os impostos incidentes em um determinado processo para disponibilizar os recursos no tempo certo.

Nesse sentido, é de conhecimento geral (dos que operam no Comércio Exterior) que enquanto não se concretize o pagamento de todos os tributos referentes ao processo de importação, a mercadoria não é nacionalizada e, consequentemente, não é liberada ao importador.

2. Armazenagem extra

A armazenagem tem valor significativo no processo de importação.

Assim como a atenção com os impostos, é preciso estar organizado financeiramente para custear cada etapa da nacionalização do produto.

Quanto mais atraso nas etapas pré-pagamento de impostos e registro da DI (Declaração de Importação) ou DUIMP (Declaração Única de importação), mais tempo a mercadoria precisará ficar alocada em recinto alfandegado e, por consequência, por um período maior de armazenagem.

má gestão financeira na importação armazenagem

Muitas vezes um dia ou algumas horas fazem toda diferença na variação do período da armazenagem, já que pode ter o valor multiplicado do original.

Acima de tudo é preciso planejar e se preparar.

3. Condições de preço e prazo do produto

Todos os envolvidos na cadeia produtiva serão afetados por uma má gestão financeira na importação.

Se o Departamento de Compras esquecer de alguma aquisição ou o Departamento Financeiro por alguma razão não efetuar o pagamento, acaba atrasando as demais etapas e a operação perde credibilidade perante os fornecedores e demais clientes internos.

Por exemplo, caso o fornecedor não receba o pagamento no dia combinado pode causar o desagradável transtorno de a mercadoria ser destinada para outro importador. Dessa forma, aumenta o prazo de entrega da mercadoria, o preço e pode ocorrer até o cancelamento do pedido.

A má gestão financeira na importação afetará o lead time do processo. Produção, vendas e distribuição têm expectativas da disponibilidade das mercadorias e, neste caso – sim –, a fábrica pode parar.

Ademais, a própria variação cambial pode afetar significativamente os custos finais da importação e causar prejuízos.

4. Condições de preço do frete

Em tempos de caos logístico, com mais de dois anos de pandemia e uma guerra – situações que restringem rotas, disponibilidade de navios, contêineres, voos que afetam qualquer modal antes mesmo de a mercadoria estar pronta –, o frete internacional é mais um fato gerador de grande estresse.

Estar atento a preços e prazos para pagamentos conforme combinado com os agentes logísticos evitará que sua carga fique em rolagem por longos períodos ou tenha Booking cancelado.

Sendo assim, respeite a validade da proposta do agente de cargas e faça o que foi acordado.

5. Comprometimento com o prazo dos Regimes Aduaneiros Especiais e Benefícios

Regimes como Admissão Temporária, DRAWBACK, RECOF SPED, Reporto etc., fazem parte dos vários tipos de regimes aduaneiros especiais que são exceção à regra geral de aplicação de impostos exigidos na importação de bens estrangeiros.

Portanto, por estarem sujeitos a exigências, devem ser ainda mais bem planejados, controlados e acompanhados atentamente.

Controlar Atos Concessórios (AC), pagar corretamente os impostos conforme o exercício devido é fundamental para que a legislação aduaneira seja cumprida e sejam evitadas multas.

Perder os prazos determinados vai gerar um problema financeiro e no fluxo de caixa da empresa, já que haverá a necessidade de pagamento de impostos não contemplados no processo.

má gestão financeira na importação ato

6. Confiabilidade dos Intervenientes

A quebra de confiança é um fator de prejuízo qualitativo que pode acabar com a reputação de qualquer empresa no mercado nacional e internacional.

Você sabe quais são os intervenientes no Comércio Exterior? Aproveite para ler este artigo!

O não cumprimento de prazos de pagamento conforme combinado, exceto nos casos justificados e com aviso prévio, é sinal de instabilidade, má gestão e inconstância nas negociações.

Como resultado da falta de credibilidade com fornecedores e demais parceiros envolvidos na importação é bem provável que a “má fama” e a má gestão financeira o faça pagar mais caro, tanto nos produtos quanto nos processos envolvidos na importação.

Por fim, ninguém aprecia negociar com empresas de comportamento instável. No mercado as informações correm de maneira rápida e a reputação da empresa pode precedê-la.

A Conexos tem vários módulos para a boa gestão financeira da sua importação

banner planosecreto blog

Em conclusão, controlar todos os mínimos detalhes de um processo de importação de maneira manual ou com sistemas que não são integrados é pouco eficiente, muito contraproducente e tendente a erros que geram prejuízos.

Ter módulos integrados que contemplam controles, planilhas de custos, financeiro, entre outros, é um investimento inteligente para evitar os prejuízos que a má gestão financeira pode causar na importação.

A Conexos possui diversos módulos com recursos inovadores. Além de otimizar todos os processos relacionados ao Comércio Exterior, ainda contribuem para o controle e boa gestão financeira das importações e exportações.

Entre em contato conosco para dar um importante passo na melhoria e evolução dos seus negócios.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.